Postagens populares

6 de mai de 2009

Éfeso: Áquila e Priscila / MULHERES NO MINISTÉRIO DO SENHOR JESUS -

Saudai a Priscila e a Áqüila, meus cooperadores em Cristo Jesus - A primeira vista de Paulo a Éfeso foi muito breve, no término da sua segunda jornada missionária, entre Corinto e Antioquia, a caminho de Jerusalém. Em Corinto, ele encontrou Áquila e Priscila. Os três tinham muito em comum: eram judeus que haviam recebido Jesus como Messias. Eram refugiados- o casal havia sido expulso de Roma, e Paulo, de muitas cidades. E também eram fabricantes de tendas.
Depois de testemunhar em Corinto, os três foram a Éfeso (Atos 18:19), onde Paulo pregou seu primeiro sermão aos judeus na sinagoga local. Seu público ficou tão impressionado que solicitou que eles ficassem mais tempo ali, mas Paulo recusou (v.21). O apóstolo deve ter sentido o potencial evangelístico da cidade, e então deixou para trás Áquila e Priscila, tendo estes, sido instrumentos no estabelecimento dos primeiros crentes em Éfeso.
Áquila e Priscila foram uma bênção não só para a Igreja de Éfeso, mas também para o movimento missionário, ao levarem Apolo ao conhecimento pleno da verdade (Atos 18:26).

O EVANGELHO - VERDADEIRO E FALSO / Gl 6-9

- O apóstolo diz-se espantado ou perturbado diante do ocorrência de seus conversos gálatas terem passados tão ligeiramente do evangelho da graça gratuita ¨ para outro (heteros) evangelho, que de fato não é outro” (atlos, da mesma classe; mas heterodoxo, não da mesma classe ou categoria ). É um falso evangelho e, portanto, não é evangelho, mas uma perversão dele, de modo definitivo, Paulo finaliza e fixa o verdadeiro evangelho da graça redentora, livrando-o qualquer mistura, legalismo ou obras humanas. O solene “maldito” não expressa tacanhez ou ressentimento pessoal, mas enfatiza a tremenda de salvanguardar o evangelho, que envolve questões de destino eterno.
Conclusão:
Uma das principais razões de Paulo ter escrito a carta aos gálatas foi o ensino dos mestres judaizantes. Eles adulteravam o evangelho pregado por Paulo, dizendo que o Cristão,além da fé em Cristo, tinha de ser circuncidado e observar a lei para ser salvo. Portanto O verdadeiro Evangelho, vem por meio da fé e graça salvadora em Cristo Jesus.

Responda em uma semana!!!!!!

1. Qual o rei que teve suas unhas crescidas como as das aves?
R:
2. Quem perdeu o sono por causa de um jejum?
R:
3. Que rei mandou matar um servo de Deus e depois não conseguiu comer nem dormir?
R:

Dica: Livro de Daniel

A PRÁTICA DO SERVIÇO CRISTÃO - Rm 12.1-21

A nossa salvação em Cristo deve ser expressa em conhecimento no serviço e ser expresso no agir segundo o Cristo que vive internamente.
1. O serviço Cristão e o ego: O ego deve ser sacrificado. O corpo deve ser sacrificado a Deus Pai. Isso é um privilégio. “Exorto-vos” expressa exortação e responsabilidade. “Portanto” é lógico por causa da salvação e compaixões de Deus na redenção. O sacrifício é vivo, implicando nossa vida. É santo e agradável porque é purificado no sangue de Cristo. Os resultados não se conformarão e nem se ajustarão aos moldes do mundo, mas, serão a renovação da mente para que possamos conhecer e confirmar a vontade de Deus, a única esfera válida de serviço espiritual que glorifica a Deus.
2. O serviço Cristão e os dons: O exercício dos dons espirituais no serviço exige humildade e avaliação correta de si mesmo. Em relação à igreja, o corpo de Cristo, devemos nos lembrar que somos muitos membros, com diferentes deveres e funções, esse novo serviço variado deve ser cumprido como dom de nosso Senhor Jesus.
3. O serviço Cristão e os outros crentes: O amor deve ser verdadeiro. O mal deve ser odiado. É preciso apegar-se ao que é bom. O amor deve ser elogiado continuamente. Os cristãos não devem ser “descuidados” no zelo, mas, devem ser “fervorosos no espírito” ao servirem ao Senhor Jesus.
4. O serviço Cristão e os incrédulos: Depois das exortações unânimes ao comportamento bondoso se referindo a nós Cristãos agora vem solicitações especiais pela tolerância amorosa diante de provocação dos descrentes. Compete a Deus ministrar a ira. A nossa responsabilidade é tão somente servir ao Senhor Jesus com amor sincero.